sexta-feira, 19 de junho de 2015

MORTE

A Morte tem me espreitado
Como um cão faminto...

Sussurrou em meu ouvido
Ela me disse que me deseja
Como uma noiva de branco vestida...
Essa Morte que pensa que pode,
Que acredita que está no comando.
Ela me disse que está...
Disse-me que pode me matar
Que só não me levou
Porque sou o porto seguro de alguém
Porque sou algo que representa a vida ainda
Tenho saúde, tenho amor, tenho vontade de viver...

A morte me disse que está por perto.
Ela tem me desejado muito
Tem me espreitado...
Mas não tem me alcançado.
Isso a tem deixado irritada
Tanto que ela não deseja mais nada,
Além de mim...

Morte sempre tão assustadora
Sempre tão encantadora
Recoberta de mistérios
Nada tenho a te dar
Nada tenho a te deixar
Vivo apenas, cada instante
Vivo enquanto você não me alcançar.
12/07/09

HINO NACIONAL BRASILEIRO

Hino Nacional Brasileiro
entre todos do mundo inteiro
o que traduz nossa grandeza
e mostra a força da natureza.

Palavras de grande expressão
foram usadas sem exceção
para dignificar nosso país
e tornar o povo feliz.

Hino Nacional Brasileiro
quando saímos do cativeiro
recebemos o nome de nação
e unimos força e emoção.

Enfim, Joaquim Osório Duque Estrada
usou poesia já analisada
para trazer do Romantismo
a força do Nacionalismo!

EU SÓ PENSO EM VOCÊ...

Um pensamento percorreu todo meu corpo...
E me fez lembrar você, que me percorre
Por toda a vida...
O pensamento me tomou todo o corpo...
E me lembrei de você que me toma e
me demonstra o quanto me deseja.
Meu pensamento veio e invadiu cada canto...
E veio você à minha cabeça, que me deseja em cada detalhe.
Senti- me sua, me senti completamente sua...
E ao sabor dos meus pensamentos, revivi cada momento
Em que já estivemos juntos.
A aventura de te ver a cada vez possível.
Gosto disso, gosto de estar com você,
Quero estar ao seu lado, e meu corpo transpira essa necessidade.
O pensamento veio como idéia maior...
E só tinha você contido nele.
Quero te dizer: Eu só penso em você...

quinta-feira, 18 de junho de 2015

Amor além do mar!

Vindo de longe, te espero.
Não sei que rumo seguir,
Volto meus olhos em tua direção
E mal posso meu caminho conduzir.

Meu rumo é outro, além do seu,
Saio em direção ao mar...
Sossego meus olhos no infinito
Marcado pelo ir vir das ondas.

Sinto o cheiro da vida marinha
Sinto o pranto dos meus olhos se derramar
- Mar, leva meu sofrimento profundo,
Pois morro ao te desejar.

Te desejo amor, e é tanto!
Não há noção para explicar,
Te quero muito, além dos sonhos
Mas estás distantes, além do mar!

domingo, 17 de maio de 2015

Noite Estrelada

É noite alta, noite escura Falta a Lua pra brindar o meu amor. Sigo a vida hoje diferente, pois depois de tanto tempo meu amor ausente, retorna em forma de mariposa, repousa nos meu ombros e me rouba novamente um beijo meu. Segue a calmaria em minha vida, e aquela dor agora esquecida, já não me atinge mais os sonhos. Antes não via mais esperanças agora a vida é novamente flor. Que sonhos lindos tenho tido à noite. Que toques suaves em minh'alma agora sinto. A primavera em flor se abriu, E não é mais distante o amor que partiu. Claudia Muniz 18/05/2015

segunda-feira, 9 de março de 2015

Além da vida!

tão vago o sentimento, vago também é o pensamento que na solidão dos dias sai por ai a passear... tão extremo é o vazio de um amor há muito esquecido e repousa displicente em um jardim florido, e tão vago é a existência à toa... ressoa, urge, apura uma sensação de que o vazio se vai... mas nada, segui firme em direção ao cais, e sombrio se prostra às margens de um oceano profundo... deseja o fim do mundo como um deleite para o açoite da solidão. em vão, ameaça saltar, não tem coragem, tem coração... o amor dominou tanto o espírito que nem consegue se desapegar... e vai, e vai ao longe, já se esconde por doer demais... Claudia Muniz 09/03/2015

Incerteza

Eu amo o sentimento vazio Amo o nada que não me quer Amo o vazio da minha solidão Eu amo a tristeza que me causa a indiferença do seu desamor. Sigo amando a dor da saudade e amo e amo sem revide vivo a ausência em minh'alma do que não pode voltar atrás! Claudia Muniz 09/03/2015