quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Esquecer

Não há o que fazer quando meu pensamento é você. Não há o que esperar se eu só quero te amar. Não há em que pensar quando eu só quero te ver. Não há mais nada já nem quero mais falar. Hoje meu peito apertou Chorei de tamanha saudade Você me abandonou, em ti só vejo maldade. Quero de tudo me esquecer Nem mais ouvir falar de ti. quero um novo caminho, não me cabe mais viver sozinho. Claudia Muniz 18-10-2014 e finalizada em 19-11-2014

Esperança

Pode o vento nos pinheiros despentear todas as folhas. Pode a chuva na varanda umedecer o final de tarde. Pode a brisa nas montanhas resvalar os sonhos juvenis. Pode o frio do final do outono congelar as mentes senis. Pode o dia converter-se em noite, levar o homem ao açoite. Pode a neve cobrir os montes, esfriar nossa fontes. O que não pode acontecer enquanto somos criança, é ter que ver morrer, o que chamamos esperança. Claudia Muniz 19-11-2014

Adeus!

Eu preferia, Senhor, a morte! Nunca tinha experimentado dor tão forte como a de despedaçar um coração! Revolvendo meu passado, tão presente, sinto que o verdadeiro amor, hoje ausente, quer apagar a chama da nossa paixão! Mas o meu amor tão puro e forte prefere a morte, como fim à solidão! Claudia Muniz 02-05-2014

Alma de Poeta!

Alma de Poeta! Tão pura e tão intensa, ora quer sorrir ora quer chorar. Ama até o último suspiro, mas feito primavera, amanhece colorida, encantada com a vida! Alma de poeta! Tão fugaz e tão vibrante, algo em seu coração pulsante quer desvendar mistérios, mas ao longo do dia, se refugia e nem mais quer amar. - Essa alma de poeta! Tão indiscreta, não quer mais amar! Claudia Muniz 03-09-2014

Poeta

A alma do poeta transparente, translúcida. A alma do poeta transcrita em poemas. Poeta alma poemas... Claudia Muniz 24-08-2013

?Quien eres?

Cuando te encuentro a ti tan desprevenida, tan suave en su ternura, me enamoro más y más. Y despacio te tornas mi pensamiento para que el momento no se deshaga jamás. Te quiero muchas veces tanto que mi cuerpo en un espasmo loco se contuerce de pasión. Ven y te convierte mía, entrega tus sueños a mis cuidados, que les voy a dar vida para traeter toda la felicidad. Claudia Muniz - 17-07-2014

Cantiga de abandono!

Ai! palavras que não expressam! flores que não perfumam meu dia! Ai! luz que não ilumina meu caminho! - Que será de mim? Ai! dor que não abandona meu peito! Ai! som que não agrada meus ouvidos! Ai! pesar que não abandona minh'alma! -Que será de mim? Ai! vento que não te traz de volta! Ai! desespero que quer manter minha revolta! Ai! tristeza que tomou conta do meu ser! -Que será de mim? Claudia Muniz 25-07-2014