quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Retorno

Se quisesse o meu amor como eu quero o teu, te daria meu sabor e o faria todo meu. Eu imploro tua presença, sento e choro por você. Tua volta é minha crença, vem alegrar meu viver. Te quero hoje e pra sempre. Te quero agora comigo, renova feito semente esse meu sonho contigo. Claudia Muniz 26/11/2014

Dia comum

Pouco a pouco o dia passou. Amanheci com a chuva na janela. Veio o vento e tudo mudou, pude viver uma noite bela. Claudia Muniz 03/10/2014

Despreparo

Não estamos preparados para a chuva. Ao menos compreendemos a tormenta. E passamos por ela sem perceber, tememos e acabamos aceitando. Assim é a vida... Vem a tempestade e desmorona tudo. O que fica é a capacidade ou não de reconstruir-se, de remontar-se de querer reerguer-se. Claudia Muniz 03/10/2014

Duas Estações

Ontem o vento despiu as árvores. Fez frio em sua homenagem. Hoje o dia se encheu de luz. Vi flores e pássaros depois da estiagem... Claudia Muniz 03/10/2014

sábado, 22 de novembro de 2014

Reconhecer-me

Por muitos vastos caminhos, Com flores e vários espinhos, sozinha eu caminhei. Por vales e até montanhas, sem medo das entranhas, sozinha, eu me embrenhei. Por horas intermináveis, Por dias indecifráveis, Sozinha, eu me virei. Por entre gostas de orvalho, por gramas verdejantes. Sozinha, me encontrei. Sentei-me à beira do caminho, me feri em vários espinhos, cruzei vales e montanhas, por dias intermináveis, sorvi água do orvalho na grama verde e pulsante, caminhe, me virei e por fim, me encontrei. Claudia Muniz 07/11/2014

Abandono

Não há nada acolá. Nada no aqui das ondas. Não há ventos nem tempestades. Nada além das conchas. Não vejo luz no fim do túnel. Tão pouco me sinto na escuridão. Não sinto que haja descaminho. Tão pouco sinto solidão. Persigo as mesmas borboletas. Corro em sua direção. Não há abandono que prevaleça Nem mágoas no coração. É um sentimento puro. Um amor incontrolável. Um caminho obscuro E uma dor inconsolável. Vivo sempre o dia seguinte, jamais estou no real. A cabeça anda nas nuvens, em um sonho desleal. Claudia Muniz 07/11/2014

Desejos

Percebo que o vento ecoa E traz sons, aromas e cores Percebo que a noite é boa e me traz brilho e flores. Sinto que o sol me ilumina reflete o meu pensamento. Sinto que o dia me fascina Oportuniza meu momento. Quero o brilho do sol. Quero o aroma das flores. Quero a vida em cores, Luz e muitos amores! Claudia Muniz 07/11/2014